terça-feira, 19 de abril de 2016

As calçadas de Santos

Foto: Alexandre Andreazzi
É só olhar bem onde pisamos. Rua XV de Novembro, Praça Rui Barbosa (Centro), Avenida Ana Costa (Gonzaga), monumento a Brás Cubas (em frente à Alfândega) e calçada da praia (defronte à Av. Conselheiro Nébias). O piso desses locais forma figuras e desenhos, uma atração à parte que merece ser conferida. São flores, peixes, aviões, balões e muito mais. E o melhor de tudo é que não se paga nada para ver.
Foto: Marcos Comune

Segundo a historiadora Wilma Therezinha Fernandes de Andrade, as calçadas dessas praças e ruas são constituídas de dois tipos de mosaicos: o romano e o português. O primeiro possui pedras pretas, brancas e vermelhas quadradas com aproximadamente 1cm. Também conhecido como tessela, era usado pelos romanos no século II antes de Cristo.
                                                                                                                                      Foto: Alexandre Andreazzi

Foto: Dorigley Ferreira

O português tem pedras de 5 a 8 cm e é irregular. É muito conhecido porque ela dá a forma às calçadas com motivo Copacabana, com ondulações intercaladas em preto e branco, muito comuns nas ruas da Cidade. Este estilo foi utilizado pela primeiro vez em frente ao Teatro Amazonas, em Manaus, imitando o encontro das águas do Rio Amazonas e do Rio Negro. As pedras pretas e brancas lembram as ondas que se forma no cruzamento dos rios. O desenho foi copiado em todo o Brasil, inclusive em Santos, e ganhou fama com as calçadas da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.
Foto: Marcos Comune

O mosaico português é mais fácil de encontrar na Cidade. O romano é um tanto quanto especial pelo trabalho que dá para ser colocado. É pedra por pedra.
Foto: Marcos Comune

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu Melhor comentário aqui...