terça-feira, 7 de agosto de 2012

História da cadela que sofreu maus-tratos tem final feliz


O caso da cadela Manuela (Manu), sem raça definida, que teve ampla repercussão na mídia por se movimentar mesmo com duas patas amputadas, teve um final feliz. Ela e a cadela Bombom serão adotadas por uma veterinária da região de Campinas. Manu, de um ano, sofreu fraturas expostas ao cair de uma laje na casa onde vivia no Morro da Nova Cintra. Já Bombom (dois anos) foi atropelada na avenida Nossa Senhora de Fátima e ficou um mês sem andar. Ambas foram transportadas para a Coprovida (Coordenadoria de Proteção a Vida Animal), órgão da prefeitura ligado à Semam (Secretaria de Meio Ambiente), onde foram tratadas.

"Elas estão recuperadas. Se movimentam bem e agora serão adotadas", disse Leila Abreu, coordenadora da Coprovida. Segundo ela, várias pessoas tentaram a adoção mas sem preencher os requisitos. Outras só queriam adotar uma das cadelas. "Nossa condição imposta foi que adoção só poderia ser em conjunto, pois ambas chegaram juntas e dividem o mesmo espaço. Elas se dão muito bem e não seria justo separá-las".

O perfil da veterinária Ana Marcela foi considerado ideal para a adoção das duas cadelas. "Ela foi informada sobre os casos por sua mãe, que reside em Santos, e manteve contato com a Coprovida. "Ana Marcela preenche os requisitos pois tem filhos, ama animais e tem uma clínica e condições financeiras de manter as cadelinhas. Além disso, tem outros cães", disse Leila.

Na próxima terça-feira (14), uma equipe da Coprovida levará os animais para a adotante.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu Melhor comentário aqui...