quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Prédios tortos de Santos

Mais de 90 edifícios das décadas de 40, 50 e 60 na orla de Santos estão assim, principalmente entre os canais 3 ao 6, onde a composição do solo da cidade (formado por camadas de areia e argila) é a principal causa da inclinação dos prédios. A pressão exercida por prédios construídos na vizinhança também ajuda a entortar ainda mais os edifícios.

A verticalização ou implosão e a reconstrução são soluções possíveis. A primeira opção, menos impactante que a segunda, já foi executada com sucesso no edifício que era considerado o mais inclinado da orla (Núncio Malzoni, no bairro do Boqueirão, ao lado da Pinacoteca), o qual tinha 1,7 metros de inclinação do topo em relação à base (Torre de Pisa = 4 metros). Assista vídeo do JN abaixo.

Eles chegam a assustar. Não é raro ver as pessoas apontando e comentando que um dia vão cair. De uma certa forma, até viraram atração turística, uma vez que não são encontrados com tanta freqüência. Ao passearmos de escuna pela orla, ou apenas caminhando a beira mar podemos perceber as inclinações. 




3 comentários:

Anônimo disse...

Eu acho uma vergonha a Prefeitura não interditar esses edifícios. Deveriam entrar com uma ação de desapropriação desses imóveis, e indenização dessas pessoas, e implodir esses prédios.
O dia que cair um e morrer gente que nem formiga, quero ver quem vai correr e para onde. Desgraça não se anuncia. Se evita para não se lamentar.

MelhorDeSantos.com disse...

O Prédio mais torto hoje em dia é o da esquina do canal 4 com a praia (Prédio do Torto) que tem 1,8 metros de inclinação

Santos e Região disse...

A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, fez um levantamento e verificou que 65 prédios localizados na orla da praia, tem entre meio metro e 1,80 metro de inclinação, esse desnível é considerado grave.
Quem mora em prédio torto já se acostumou. No apartamento do professor Bio Ungaretti, o morador fez adaptações para viver melhor: como as portas fecham sozinhas, o piso do banheiro foi nivelado e os pés da cama ganharam um apoio. "Eu nem moro em prédio torto, moro em um prédio normal, tranquilo, porque a gente acostuma né". afirma o professor.
O prefeito da cidade João Paulo Tavares Papa resolveu marcar uma entrevista coletiva nesta tarde, para esclarecer o assunto. A prefeitura vai chamar para uma reunião os responsáveis por esses 65 prédios, vai exigir laudos técnicos mais específicos e só depois desses estudos é que será definido se há algum risco.
"Esse tipo de problema decorre muito lentamente, o entortamento de um edifício se dá ao longo dos anos, até ele entrar em uma faixa de risco, de insegurança, é muito lento, não é de um dia para o outro que um prédio vai cair", afirma o engenheiro Marcelo Racca.
"Toda a responsabilidade de reforma e reconstrução estrutural é dos proprietários. Nós estamos procurando radiografar e delimitar onde está o problema, que está claramente identificado com a orla da praia e criar meios, incentivos e assessoramento técnico para que os investimentos necessários sejam feitos", afirma o prefeito João Paulo Papa.
Um desses famosos prédios tortos foi nivelado no início do ano passado. O bloco B do edifício Lucio Malzoni, construído em 1970, tinha 1,70 metro de inclinação, o prédio mais torto atualmente esta localizado no canal 4 , com um desnível de 1,80 metro.
Moradores de vários prédios já estão discutindo o assunto: "Tem que ter um projeto conjunto entre as comunidades, a prefeitura, o governo do estado e os moradores", reclama o consultor José Bianchini.

Postar um comentário

Deixe seu Melhor comentário aqui...