quinta-feira, 2 de junho de 2011

Santos foi a segunda cidade mais beneficiada na temporada de cruzeiros




A última temporada de cruzeiros marítimos injetou R$ 86,6 milhões na economia de Santos, que ficou em segundo lugar no volume de recursos captados pelas cidades portuárias de outubro de 2010 a abril deste ano.


Nesse período, quando os 20 navios fizeram 310 escalas na costa brasileira, os municípios litorâneos receberam aporte total de R$ 522,5 milhões, referentes a compras de passeios turísticos, alimentos e bebidas, transporte e aquisição de lembranças e presentes. 

 Os gastos das armadoras incluem tarifas portuárias, impostos, compras de suprimentos, combustível e água, entre outros ítens. Esse panorama foi apontado pelo ‘Estudo de Perfil e Impactos Econômicos no Brasil’, desenvolvido pela Abremar (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), por intermédio da FGV (Fundação Getúlio Vargas), divulgado terça-feira (31), durante o 6º Cruise Day, feira voltada a agentes de viagens e secretarias de turismo, realizada na capital. 

 Segundo o estudo, o Rio ocupa o primeiro posto, com arrecadação de R$ 102,9 milhões, seguindo-se Búzios (RJ), R$ 57 mi; Salvador (BA), R$ 43,9 mi, e Ilhabela (SP), R$ 42,3 mi. Os restantes R$ 189,8 milhões foram divididos entre os demais portos. Empregos Na temporada, o setor gerou 20.638 postos de trabalho, sendo 5.603 tripulantes brasileiros e 15.035 gerados, de forma direta e indireta, pelos gastos dos turistas nas cidades portuárias e na cadeia produtiva de apoio ao setor. 

 Ainda segundo a FGV, na temporada 800 mil passageiros embarcaram no país, 512.330 dos quais pelo porto de Santos, que mantém o primeiro posto no país, de acordo com o Concais, administrador do Terminal Giusfredo Santini. Somando-se desembarques e trânsito, o volume de passageiros chegou a 1.120.757, 14% a mais que a temporada passada. A empresa apurou que os cruzeiros marítimos injetaram R$ 274 milhões na economia da região e criaram 4.900 empregos diretos.