sábado, 18 de junho de 2011

Em 1908 o navio japonês Kasato Maru, desembarcou no Porto de Santos com 165 famílias de origem japonesa


No dia 18 de junho de 1908, desembarcou do navio japonês Kasato Maru, no Porto de Santos, 165 famílias de origem japonesa. As primeiras famílias que aqui desembarcaram eram formadas, sobretudo, por pessoas oriundas do norte e sul do Japão, de áreas pobres que desenvolvia a agricultura. Esse grupo de camponeses veio para o Brasil com intuito de trabalhar no desenvolvimento da cultura do café (produto mais importante da época) na região oeste do Estado de São Paulo. Esse processo ocorreu pelo fato do Brasil necessitar de mão-de-obra para o cultivo do café e por causa da carência de postos de trabalho no Japão. A partir das necessidades recíprocas entre os interesses do Brasil e Japão, foi firmado um acordo imigratório entre os dois governos. Após uma década da chegada das primeiras famílias japonesas, o número de imigrantes dessa nacionalidade saltou para quinze mil, esse fluxo imigratório foi acrescido após o início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), algumas estimativas revelam que entre 1918 e 1940 pelo menos 160 mil japoneses chegaram ao Brasil. Grande parte dos imigrantes japoneses se fixou no Estado de São Paulo, por causa das colônias e bairros típicos que já se encontravam estabelecidos. Mas os imigrantes japoneses não restringiam sua fixação somente no Estado de São Paulo, eles se dispersaram por todo o território brasileiro. 


 Para que os imigrantes se adaptassem no Brasil foi preciso superar uma série de dificuldades, tais como língua, cultura, religião, clima e preconceito, devido a tais fatores vários trabalhadores tentavam regressar ao seu país de origem, mas eram obrigados pelos fazendeiros a ficar, pois tinham estabelecido contratos de trabalho que deveriam ser cumpridos, embora os acordos fossem sempre desfavoráveis aos japoneses. Mesmo tendo enfrentado uma série de empecilhos, os japoneses conseguiram superá-los. A maioria dos imigrantes veio para o Brasil com a intenção de viver temporariamente, mas com o passar do tempo muitos decidiram se estabelecer definitivamente. 


 No decorrer da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), os japoneses que viviam no Brasil tiveram problemas relacionados a essa questão, pois o Brasil apoiou o grupo dos aliados, enquanto o Japão fazia parte do grupo do eixo. No desenrolar do conflito a entrada de japoneses ficou proibida, além disso, o governo era ofensivo em relação a esse grupo, isso ficou mais evidente quando o presidente Getúlio Vargas impediu a dicção do idioma japonês e toda e qualquer forma de manifestação cultural, tais atos passaram a ser considerados criminosos. 


 Após esse período nebuloso da Segunda Guerra e de repressão aos imigrantes japoneses, as leis que os prejudicavam foram extintas e o fluxo imigratório voltou ao seu crescimento normal. Nesse momento as fontes de trabalho buscadas pelos japoneses eram nas lavouras e nos centros urbanos, ingressando na indústria, comércio e prestação de serviços. Hoje, o país que mais abriga imigrantes japoneses é o Brasil, esse grupo étnico já faz parte da cultura brasileira, além disso, agregam esforços para o desenvolvimento econômico do país. Os imigrantes japoneses vieram para o Brasil com muita vontade de trabalhar, trouxeram também arte, costumes, língua, crenças e conhecimentos que contribuíram para o enriquecimento do país que possui grande variedade de culturas.




Eduardo de Freitas 
Graduado em Geografia 
Equipe Brasil Escola


Homenagens marcam 103 anos da imigração japonesa