sexta-feira, 6 de maio de 2011

Fatec de Praia Grande lança estudo para avaliar o perfil da mão-de-obra no Porto de Santos



Mesmo com o crescimento da atividade portuária, o nível salarial dos trabalhadores vem sofrendo forte redução nos últimos anos. Entre janeiro e dezembro de 2010, por exemplo, a queda do salário médio dos trabalhadores que operam equipamentos de movimentação de carga no cais santista foi de R$ 1535 para R$ 1294.
Esse quadro levanta uma série de questões quanto às condições de trabalho no maior Porto da América Latina: os trabalhadores estão preparando para atender às novas demandas do cais? Como está o processo de qualificação e requalificação da mão-de-obra? É possível reverter esse processo de perda salarial?
Para responder essas questões, a Fatec de Praia Grande instituiu um grupo que vai diagnosticar e apresentar um estudo completo sobre o tema. Coordenado pelo professor doutor João Carlos Gomes e com a participação da professora mestre Viviam Ester de Souza Nascimento, o trabalho, que vai durar aproximadamente dois anos, conta com seis alunos do curso de Tecnologia em Comércio Exterior que realizam trabalho de iniciação científica vinculado ao projeto.
Empresas e trabalhadores 
 O estudo da Fatec PG vai se concentrar nos setores de granel sólido, granel líquido e carga geral. “Vamos trabalhar com sete ou oito empresas que respondem por 70% dessas operações. Falaremos com gerentes, gerentes de RH e profissionais da área técnica que vão poder nos informar quais são as novas tecnologias e como operam. Do lado dos trabalhadores, conversaremos com todos os níveis de função, desde o braçal até o técnico”, explica Gomes.
O objetivo da pesquisa é fazer uma leitura do que os empresários pensam sobre requisitos de capacitação necessários para suprir a demanda de mão de obra e como os trabalhadores estão se comportando para atender as novas exigências de formação. Além disso é um oportunidade para aproximar os alunos da realidade das empresas que atuam no segmento. “Realizamos visitas técnicas e cursos complementares como o de Vistoria e reparos de Contêineres, todos voltados para a realidade profissional da nossa região. Com isso conquistamos novos parceiros e os alunos ficam antenados com as necessidades do mercado”, afirma a professora Eliana Josefa da Silva, coordenadora do Curso de Tecnologia em Comércio Exterior.
“A Fatec não tem apenas a função de facilitar o acesso dos seus alunos ao mercado de trabalho. Estimular a aproximação dos estudos acadêmicos com a sociedade, neste caso o empresariado que atua no porto, é um trabalho importante que vamos ampliar cada vez mais”, ressalta o diretor da Fatec PG, professor doutor Nilson Carlos Duarte da Silva