domingo, 8 de agosto de 2010

Foco em Santos: MUSEU PELÉ


Sem dúvida uma grande obra no Centro Histórico de Santos, localizado no Largo Marquês de Monte Alegre (em frente à primeira estação ferroviária construída no Estado, a São Paulo Railway) Construídos entre 1867 e 1872 pelo comerciante português Manoel Joaquim Ferreira Netto, o Casarão do Valongo abrigará o Acervo Museu Pelé.

Em outubro do ano passado, a corrida para captação de recursos destinados ao restauro do prédio, angariou metade dos valores necessários à obra.
Na ideia do projeto, a construção manterá traços próximos aos dos casarões do século XIX (característicos do Valongo), mas que, internamente, haverá uma maior liberdade para inovações.

O projeto arquitetônico conta com três blocos interligados: o ‘Central’ (550 m²), com a entrada, lojas, café e sanitários; o ‘Bloco Um’ (1.405 m²), que terá exposições e auditório de 80 lugares para documentários e os gols de Pelé; no Bloco ‘Dois’ (1.232 m²), ficará o acervo de Pelé. O setor administrativo do Museu Pelé ficará no piso de cima.

No lançamento da obra, uma caixa de aço, chamada de ‘cápsula do tempo’, foi colocada no local, para ser aberta em 2040, data do centenário de nascimento de Pelé. Foram depositados em seu interior jornais do dia, camisas do Santos, mensagens do prefeito João Paulo Tavares Papa.
O Museu Pelé é uma realização da Prefeitura de Santos e da Oscip (Organização Social de Interesse Público) Ama-Brasil, com apoio do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e Ministério da Cultura. Os patrocinadores são Ambev, BNDES, Fosfertil, Gerdau, Mitsubishi Eletric, MRS Logística AS e Vivo.

A previsão é que o Museu seja entregue em 2012, se transformando em mais uma grande atração turística da cidade de Santos.











1 comentários:

Anônimo disse...

como pode uma edificação cheia de historia ser "restaurada", pois a própria UNESCO é contra este tipo de intervenção, que intervem para esconder toda sua historia, só para ficar "velhinho em folha" para parecer antigo para os turistas. Espero estar errada, e que esta intervenção siga os preceitos de Ruskin, e que não apague a historia desta edificação, com todos os seus acidentes o que tornou aquela edificação fascinante, uma ótima referencias são as intervenções do Paulo Mendes da Rocha, e a intervenção feita no caraça em Minas Gerais, ou seremos nos mais atrasados dos que os mineiros, afinal Pelé nem santista é, é mineiro, e se for para destruir um patrimônio, do jeito que é condenado em todo o mundo, que não construa, pois esse cara nem de Santos era, e este é um patrimônio nosso, Santista(e não to falando do time ¬¬)

Postar um comentário

Deixe seu Melhor comentário aqui...